Herói tendo seu nome jogado na lama

Vê se pode! Mãos erradas estão desviando de sua essência o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Única bem fundada explicação às perseguições mediante multas que podem alcançar cifras milionárias, abordagens com armas e ameaças de expulsão contra residentes da reserva extrativista (RESEX) também batizada com o nome do notável ativista ambiental e dividida entre os municípios acreanos de Brasileia, Epitaciolândia e Xapuri (terra do homenageado). O tema foi discutido entre autoridades e a população em 27 de agosto numa audiência pública no Clube da Polícia Militar de Brasileia, originando acordos e criando expectativas a respeito de seu cumprimento.

Não dispõe o ICMBio de alguma mente enraizada na realidade e, portanto, hábil para ajustar as atividades fiscalizadoras e punitivas deste organismo segundo o significado dos delitos e o perfil de quem os produz? O em parte desnecessário peso de carregamento confiado aos humildes ocupantes da RESEX (índios e mestiços que aproveitam os recursos naturais visando autossustento) que, do lado oposto, nem cócegas faz na esplêndida fortuna dos gigantes agropecuários, não detém o ciclo de agressões ambientais e pobreza que à localidade não permitem decolar muito acima dos números estatísticos nacionais e estrangeiros que maculam-na.

Maior das florestas, a Amazônia mede mais que o necessário para ser a mina de ouro que representa perante os nichos sociais, econômicos, culturais e científicos. Vêem nisso os indivíduos abastados e firmas atuantes no segmento agropecuário e madeireiro um desserviço a seus planos expansionistas via modelos produtivos unânimes (monocultura que muito menos cobre seus inconvenientes devido ao pagamento da conta em maior quantia pelos mercados consumidores externos). Com o pensamento leve tocam esse esquema adiante cientes de sua influência sobre a Justiça graças ao bem feito patrimônio conquistado ao integrar o alto escalão das categorias motoras de nossas finanças, e poder de mostrar que interesses devem ser dominantes a quem desafiá-los com argumentos que introduzem este parágrafo. Mas o manejo dos recursos do bioma também não possui garantias de realização íntegra por gente credenciada pelas autoridades às quais cabível e obrigatório é supervisionar os procedimentos a fim de proporcionar bons retornos local e nacionalmente.

Práticas que nadam opondo-se a esta corrente incluem pesquisas estrangeiras que resultam na coleta e no patenteamento das descobertas pelos países dos espertinhos (biopirataria) e modificações físicas nas áreas florestais por seus ocupantes mesmo. São ambas bem desenvolvidas quando não há úteis projetos governamentais, privados ou filantrópicos visando controlar isso.

Tal situação incide sobre os abrigados na reserva Chico Mendes, atropelados pelo ICMBio e órgãos que atuam em conjunto quando estes percorriam de um extremo a outro o caminho para o reparo de omissões. Fixar a comunidade naquelas terras com que têm laços históricos e culturais já era para os governantes o total de seu dever, enganosa visão que os induziu a tirar pela raiz os recursos financeiros e a dignidade deste povo que lida com a falta de mais desenvolvidas condições na saúde, ensino, infraestrutura e emprego por efeito da qual são obrigados a garantir melhor sustento erradamente explorando o que só a eles deveria servir, motivo das ações repressivas.

As armas vão sair de cena, bem como dois empregados do ICMBio (talvez por não prestarem bem o serviço, podendo estar entre os até então dotados de poderio bélico)! Quem levou multa passa a ter duas vezes neste mês oportunidades de atendimento por parte dos responsáveis pela RESEX. Alterações em leis regionais que dispõem sobre extração e uso da madeira são consideradas pelas lideranças políticas que ao evento encerrado na base desses acordos compareceram, ponto requerente de cautelosos estudos quanto à intensidade do processo adequada àquele território procurando afastar indesejadas consequências. Saíram do espaço onde se reuniram, dado o fim do encontro, os participantes melhor compreendendo (na teoria já temos a certeza) a inversão dos atuais valores do ICMBio a despeito do que Chico Mendes plantou pacientemente, uma variação que segue os interesses de quem está a bordo – junto aos quais podem haver inclusive fazendeiros unfiltrados, num plano de sabotagem –, o que já vemos acontecer com as entidades indigenistas.

Comentários